Pintar

Caiar paredes, informações dicas e conselhos

A cal é pedra calcária em estado líquido, usada como tinta ou argamassa desde o princípio dos tempos. Nas grutas de Lascaux encontraram-se pinturas rupestres que indiciam o uso de...

Caiar paredes, informações dicas e conselhos

Atualmente a maioria das pessoas prefere utilizar tintas plásticas para pintar as suas casas. No entanto em alguns lugares as pessoas mais idosas ainda preferem caiar as suas habitações.
A água é um dos elementos fundamentais para fazer cal. A cal vem em pedra, depois derrete-se numa bilha ou numa lata em água fria. Vai-se pondo, pedra por pedra, porque ela vai ferver muito e depois queima. Mexendo para a cal ficar bem derretida, caso contrário fica pedra e areia no fundo e não dá para utilizar. Após 48 horas obtém-se aquilo a que se chama leite de cal e pode-se começar a pintar.

As melhores ferramentas para caiar são as trinchas, brochas e vassouros de pelo farto. Têm que ser macias e ter uma grande densidade e pelo, pois a caiação tem que ser feita com cal fluída.

Nas primeiras demão a cal deve ser mais líquida.

A concentração também depende do tipo de substrato que se vai caiar, não havendo por isso concentrações rigorosas.

O que é importante é que a parede absorva facilmente a cal, que ela penetre bem e que se espalhe com facilidade.

Para isso é necessário passar o pincel várias vezes no mesmo sítio e terminar sempre as pinceladas ou na vertical ou na horizontal.

A cal líquida ao ser aplicada torna a parede translúcida. A parede fica com aspeto molhado e transparente. É então necessário perceber no transparente a área que já está caiado e a que não está.

A consistência da cal depende de artificie para artífice. Há quem prefira a cal “mais grossa” (mais consistente),para aderir melhor à parede, outros preferem a cal “mais fina”, para que a fendilhação seja minimizada. Para ver a consistência da cal, no passado normalmente utilizavam o dedo; quando o dedo ficava tapado estava demasiado grossa, quando o dedo ficava visível era quando estava boa para aplicar.

Após a aplicação da cal começa o processo de secagem, conforme vai secando a parede vai ficando branca. Fazem-se sempre duas ou três demãos, sendo que só se aplica a camada seguinte, após a anterior estar seca (≈ 24horas), este período depende da temperatura, da exposição ao sol e mais que tudo da existência de humidade na parede. Após a secagem completa pode-se aplicar uma nova demão. O número de demãos necessárias depende do estado da parede, de esta já ter sido caiada ou não, da qualidade do reboco e do aspeto final que se pretende obter.

As camadas são aplicadas em diferentes sentidos: a 1ª demão da esquerda para direita e a 2ª demão de baixo para cima.

Como Proceder
1
  • Se as paredes são velhas e muito toscas é um erro raspá-las em profundidade, (pois isto vai danificar em profundidade as camadas de cal (que já têm centímetros) e que são a proteção e consolidação do velho reboco. Nestes casos deve-se apenas raspar “levemente” as zonas onde a cal está estalada ou solta “tirar o escafelo”;
  • Se as paredes já estiverem caiadas, mas as camadas de cal não forem muito espessas e se encontrarem degradadas (soltas, apodrecidas) e o reboco aparentar consistência deve-se proceder a uma raspagem profunda, seguida de uma lavagem com água;
  • Se as paredes são novas deve proceder a uma leve raspagem e limpeza com uma vassoura, para que a areia que está pouco aderente se solte e algumas imperfeições do reboco sejam retiradas;
  • O humedecimento com água corrente deve ser feito, especialmente quando as temperaturas são elevadas ou as paredes estão quentes. (não se deve caiar a parede quando o sol incide diretamente sobre ela);
  • No caso do reboco ser um reboco de argamassa de cal e se apresentar com uma consistência fraca, antes da primeira demão deve ser aplicada uma demão de água de cal;
  • No caso do reboco estar bem consistente e “apertado”, não é necessária a demão com água de cal, bastando apenas humedecer as paredes com água corrente.;
  • Importante – Em ambos os casos, se as paredes apresentarem buracos grandes, estes devem ser reparados com uma argamassa do mesmo tipo da que constitui a parede;
  • Se os buracos forem pequenos, o reboco não se apresentar em degradação e se pretender um acabamento mais tosco, a própria cal da caiação é suficiente para remendar o buraco. Pode ser necessário caiar mais vezes nesse sítio e utilizar uma cal mais grossa, desde que ela seja bem espalhada, de modo a não estalar;
  • No caso de fissuras, estas não devem ser tapadas com as massas que habitualmente se usam quando se vai pintar com tinta. Nas fissuras a cal deve ser aplicada bem diluída e em várias demão.
2
  • Se existirem zonas com bolores, verdetes ou fungos devem, estas zonas, ser lavadas com lixívia, seguidas de uma lavagem com água;
  • As zonas com líquens ou fungos deve ser escovada com escova de arame e limpa com produtos biocidas e posteriormente lavada com água;
  • A “lavagem” com água de cal deve ser feita nas zonas onde o revestimento de cal desapareceu completamente e o o reboco de cal e areia, ou taipa ficou à vista. Isto porque a água de cal ajuda a consolidar o reboco, funcionando como uma espécie de primário.

Algumas Propriedades da Cal

  • A cal não ganha bolores porque tem propriedades bactericidas;
  • A cal é permeável ao vapor de água;
  • A cal deixa as paredes respirarem, isto é essencial aos rebocos antigos porque eles são permeáveis e contêm grande quantidade de humidade no seu interior;
  • A cal é purificadora do ar, para solidificar (o que se chama carbonatar), absorve o dióxido de carbono existente no ar;
  • A cal funciona como um detergente bactericida – é esta a forma de a cal ser lavável – está sujo, passa-se um pincel com cal e já está lavado e desinfetado.

Informações Adicionais

  • Quando a cal das paredes está intacta, só é necessário tirar o pó. No caso de paredes exteriores pode optar-se por humedecê-las com água antes de caiar, especialmente se a caiação for feita no verão. Isto melhora a aderência da cal ás camadas já existentes e facilita a a caiação.
  • Não é aconselhável a aplicação com muito calor, muito frio, nem com tempo nublado. A primavera/verão é o período mais aconselhável para fazer a aplicação.
  • Quando se utiliza cor normalmente é na barra. A cor é dada com a utilização de pigmentos e atualmente nalguns casos com tinta de silicato. Os pigmentos utilizados são do tipo óxido de ferro “de boa qualidade, senão estraga.
  • Para colorir a cal, utilizam-se pigmentos. Estes podem ser naturais ou sintéticos. Atualmente os pigmentos sintéticos que se encontram à venda são principalmente: óxido de ferro amarelo, óxido de ferro vermelho, óxido de ferro preto, azul ultramarino e verde água. Estes pigmentos misturados entre si, permitem fazer outras cores e uma grande variedade de tonalidades.

Ainda tem alguma dúvida?

Depois de ler o nosso artigo, se ainda ficou com alguma dúvida, consulte a nossa “Base do Conhecimento”. Nessa página encontrará resposta para as questões mais frequentes.

Base do Conhecimento
Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

Cores Favoritas

As minhas cores favoritas

      Ainda não adicionou nenhuma cor à sua lista de favoritos!